Notícias

Simpósio sobre doença falciforme promove palestra de Drauzio Varella

Público se reuniu no Teatro Municipal nesta quinta-feira (22) para segundo dia de capacitação
22 de agosto de 2019
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O médico Drauzio Varella foi um dos destaques do segundo dia do simpósio sobre a anemia falciforme, uma condição genética e hereditária que atinge o sangue. O evento é organizado pela Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, e resultado de um convênio com a União. As atividades, todas gratuitas, começaram nesta quarta-feira (21) e seguem até sexta (23) com o objetivo de oferecer capacitação em torno do tema.

As palestras desta quinta-feira (22) começaram cedo, com programação tanto no Teatro Municipal quanto na Faculdade Pitágoras. Drauzio Varella chegou por volta das 14h no Teatro Municipal para falar para uma plateia formada por profissionais da saúde e educação, além de pessoas interessadas em conhecer mais a respeito da anemia falciforme. Cerca de 800 pessoas se inscreveram para essa data. Pela manhã, o especialista foi recebido, no Centro Administrativo Municipal, pelo prefeito Odelmo Leão e o secretário Municipal Saúde, Gladstone Rodrigues da Cunha.

O médico cancerologista é reconhecido pelo trabalho de disseminação de informações sobre doenças, cuidados com a saúde e qualidade de vida. “A anemia falciforme não é uma doença, é uma condição, que leva a uma série de complicações. Muita gente não tem conhecimento de que ela existe, de como se cuidar. Então, é importante dar treinamento a quem está na atenção básica, nas estratégias de saúde da família, os agentes. São eles que estão na linha frente e precisam saber identificar esses casos, qual o exame tem que ser pedido”, explicou Varella.

Desde 2007, Uberlândia conta com uma Rede de Atenção Integral aos portadores da anemia. Atualmente, 306 pessoas são acompanhadas pelo Município. “A doença é desconhecida por grande parte da população e é uma das enfermidades mais prevalentes no Brasil. A partir do teste do pezinho (clique aqui para saber mais), já podemos detectá-la e já começamos a fazer o tratamento desde a infância”, disse a coordenadora da Rede de Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme, Mara Ramos de Oliveira.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também

All articles loaded
No more articles to load