Notícias

Campanha Setembro Amarelo é tema de atividades na UBSF Seringueiras II

Além de palestra sobre saúde mental e prevenção ao suicídio, pacientes participaram de uma dinâmica de grupo
10 de setembro de 2019
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

 Desde 2015 esta época do ano é marcada pela campanha nacional de prevenção ao suicídio conhecida como Setembro Amarelo. Com o intuito de reforçar os valores dessa importante iniciativa, a Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Seringueiras II, no bairro São Jorge, preparou atividades temáticas na manhã desta terça-feira (10).

O dia começou com uma palestra sobre saúde mental e prevenção ao suicídio com o clínico geral da unidade e especialista em saúde mental, Marcos Vinícius Rodovalho. “É fundamental passar para a comunidade que existem inúmeros sinais no comportamento que nos servem de alerta. A unidade de saúde é a porta de entrada dos pacientes, é importante eles saberem que existe atendimento especializado capaz de ajudá-los nos momentos difíceis”, ressaltou Marcos.

Depois da palestra, os pacientes participaram de uma dinâmica, que incentivou a interação eles, por meio da entrega de sementes de girassóis. “Infelizmente, o número de casos de suicídios vem aumentando nos últimos anos e precisamos conversar mais sobre esse assunto. A depressão é uma doença grave, que deve ser tratada com seriedade. Se os familiares perceberem que há algo de errado, é preciso buscar tratamento”, explicou a psicóloga Anna Flávia de Oliveira Santana.

 A dona de casa Luciane Silva fez questão de comparecer na UBSF. “Eu vim buscar mais informações porque é muito importante a gente aprender a lidar com as pessoas que não estão bem de saúde. Eu cuido da minha mãe, percebi que ela está deprimida. Estou aprendendo a lidar com ela e ver a melhor forma de ajudá-la”, contou.

O Setembro Amarelo tem o objetivo de reforçar a valorização da vida, a prevenção e o combate ao suicídio. Durante todo o mês, a temática será abordada nas unidades de saúde do município. Isolamento social, tristeza, mudanças de comportamento e sensação de vazio podem ser alguns dos sinais de alerta.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também

All articles loaded
No more articles to load