Notícias

Praça da Igreja do Rosário recebe apresentação ‘Um cello em solo fértil’

Iniciativa faz parte do Projeto Harmonia e reúne diferentes manifestações artísticas
26 de setembro de 2019
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Divulgação

Desde agosto, nesta primeira temporada do projeto Harmonia, músicos selecionados em edital estão enchendo os arredores da Igreja Nossa Senhora do Rosário de apresentações acústicas de qualidade. Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura, o intuito é difundir o trabalho de músicos residentes em Uberlândia e possibilitar a apreciação de patrimônios históricos da cidade.

Nesta quinta-feira (26), a partir das 21h, o violoncelo de Kayami Satomi vai encher a praça da Igreja do Rosário da harmonia e versatilidade do instrumento na apresentação denominada “Um cello em solo fértil”. Com estilos que caminham desde o barroco alemão de Sebastian Bah até o violoncelista e compositor, Gustavo Tavares, o repertório promete agradar.

“Em 2019, completou 10 anos que vim para a cidade dar aula e trabalhar com música, então para mim é um gesto grandioso e bem uberlandense. Adoro e valorizo muito a cena musical de Uberlândia. Esse é um edital único, que enaltece a Igreja do Rosário, um dos símbolos da cidade. Pelo que percebi da seleção, o edital ressalta bastante a diversidade de gêneros dos grupos selecionados e, no meu caso, que sou mais visto com o UdiCello, vou poder apresentar meu trabalho sozinho, basicamente como eu era quando cheguei aqui”, contou o músico Kayami Satomi.

Valorização do patrimônio histórico

O projeto pretende despertar na comunidade a valorização do patrimônio cultural, incentivando a população a assistir apresentações nos arredores da igreja. Os presentes também receberão material de divulgação dos bens tombados da cidade. Serão distribuídos porta-copos com foto e informações sobre dez bens tombados do município.

A secretária municipal de Cultura, Monica Debs, destaca que as atividades de educação patrimonial pretendem que, ao final do ano, o projeto tenha estabelecido vínculos de pertencimento das pessoas com a Praça e a Igreja, assim como a difusão de sua importância para a história e memória da cidade.

“O que se pretende é conscientizar as pessoas da importância de conservar os bens tombados. Neste caso particular, a Igreja do Rosário, que tem sido alvo constante de atos de vandalismo. As apresentações musicais serão em formato acústico e terão repertórios adequados ao espaço e à função social da igreja”, explicou a secretária municipal de Cultura, Monica Debs.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também