Notícias

Festival de Dança do Triângulo realiza oficina sobre metodologia do balé

Curso ministrado por Lu Braga foi oferecido gratuitamente pela Secretaria Municipal de Cultura neste sábado (28)
28 de setembro de 2019
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Em continuidade às oficinas do 27º Festival de Dança do Triângulo, ministradas por profissionais de renome nacional e internacional, a Secretaria Municipal de Cultura reuniu cerca de 40 apaixonados pelo balé neste sábado (28), na Oficina Cultural. Os participantes se aprimoraram com os ensinamentos baseado em uma metodologia aplicada há 20 anos pela professora e bailarina Lu Braga. A iniciativa foi viabilizada com auxílio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Pmic).

O desenvolvimento amplo e saudável, proveniente das posturas, giros, saltos e equilíbrio compuseram a dinâmica da aula que começou às 9h e seguiu até as 19h, com uma hora de intervalo. Quem esteve presente aprofundou no desenvolvimento da motricidade ampla e fina, bem como as funções executivas e cognitivas para públicos de todas as idades. A estudante e professora de balé, jazz e vogue Michele Borges de Oliveira fez questão de comparecer para absorver e replicar todo o aprendizado em suas aulas.

“Por serem gratuitas, essas oficinas aumentam a possibilidade de pessoas que não tinham acesso participarem. O balé sempre foi muito elitizado e muito caro, tanto que falo por experiência própria de que demorei a entrar nessa área. Acho muito importante para abranger e oferecer algo tão rico para nossas aulas e para nós mesmos“, disse.

Mineira de Belo Horizonte, Lu Braga é formada em Balé Clássico pelo Palácio das Artes (1991) e graduada em Licenciatura Plena como Educadora Física pela UFMG (1995). A professora e bailarina é, também, idealizadora, sócia-proprietária, diretora artística e pedagógica da Escola de Ballet CriDança, em Vitória (ES), e autora da patente e do livro “Metodologia Coordenando- se I e II. Ter no currículo a experiência de transmitir conhecimentos durante o 27º Festival de Dança do Triângulo é, para ela, motivo de orgulho.

“Acredito muito na motricidade como uma forte aliada na qualidade de vida, e te confesso que essa iniciativa do Festival de Dança é o mundo perfeito. Estou no meu 73º workshop e nunca aconteceu de ter uma Prefeitura que investiu esse valor e esse serviço para a sua comunidade. Isso é muito legal”, destacou.

O festival

Sob a temática deste ano, “Expressões artísticas com olhar social”, o 27º Festival de Dança do Triângulo segue com programação de setembro a novembro. São oferecidas mostras de dança, palcos livres, intervenções e as famosas oficinas que nutrem uma cena de dançarinos e bailarinos na cidade. Na atual edição, já foram oferecidas de Dança Afro com Raouf Tchacondo (Togo – África), Danças Étnicas com Fabrício Dabke (SP), Figurino com Fabiana Pescara (PR) e Educação Somática com Cláudia Millás (RJ).

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também