Notícias

Uberlândia perde o ex-diretor do Dmae José Pereira Espíndola

Engenheiro que se destacou como um dos principais nomes do saneamento básico da cidade faleceu aos 88 anos; prefeito Odelmo Leão determinou que fosse decretado luto oficial por 3 dias
15 de outubro de 2019
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Faleceu, na manhã desta terça-feira (15), aos 88 anos, o engenheiro José Pereira Espíndola, responsável pela criação do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) e de projetos de relevância histórica para o saneamento de Uberlândia, como a Estação de Tratamento de Água Renato de Freitas (Sucupira) e a canalização de águas pluviais das avenidas João Pinheiro, Cipriano Del Fávero, João Pessoa, entre outras.

Neste ano, Espíndola foi homenageado pelo prefeito Odelmo Leão com a comenda Rondon Pacheco e participou da inauguração do Museu da Água do Dmae. Ele também foi diretor da Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub), vice-prefeito e secretário municipal de Obras na gestão do então prefeito Renato de Freitas. Ele dirigiu o Dmae nos anos iniciais a partir da criação da autarquia e retornou mais tarde em dos mandatos do ex-prefeito Virgílio Galassi.

O prefeito Odelmo Leão destacou o legado do engenheiro prol de Uberlândia e a dedicação dele nos projetos de saneamento para a cidade. Nesta manhã, determinou que fosse decretado luto oficial de três dias e pediu um minuto de silêncio ao falar em um evento na manhã desta terça-feira (15). “Um ser humano magnífico, homem simples, mas, na vida, um grande realizador que ajudou muito a cidade de Uberlândia, inclusive a drenagem da avenida Rondon Pacheco. Um benfeitor para nossa cidade que entra para a história de Uberlândia. Uma grande perda para todos nós”, afirmou nesta manhã em solenidade na Prefeitura.

Natural de Nova Ponte (MG), José Espíndola entrou para a vida pública após ser diretor da Aciub, com o objetivo de trabalhar para o desenvolvimento de Uberlândia. Antes disso, ele fez cursos técnicos em São Paulo, e montou a empresa hidroelétrica Fundição Pereira Espíndola.

Pioneirismo

Arquivo Dmae

Inovou com a montagem da fábrica de tubos no almoxarifado da Prefeitura e a criação de máquinas para a fábrica de Tubos que deu origem do Dmae, inaugurado em 23 de novembro de 1967. A fábrica foi criada por Espíndola para a construção da adutora de Sucupira e a ETA Renato de Freitas com captação da água do rio Uberabinha.

Com a dedicação total à Uberlândia, Espíndola se desfez da sua empresa, vendendo os ativos da empresa a seus funcionários, por preço abaixo do valor de mercado. A exigência dele era que a empresa fabricasse peças para a execução do projeto de captação e abastecimento de água de Uberlândia.

O engenheiro também foi pioneiro na construção de máquinas de jateamento de areia e dispositivo para revestimento em epóxi. Responsável também pelo criação e uso dos motores hidráulicos na captação da água, reduzindo os custos com energia elétrica.

Na sua segunda passagem pelo Dmae, Espíndola apresentou soluções econômicas para as dívidas da autarquia e dobrou a capacidade das estações de tratamento de água, construiu novas adutoras e um anel hidráulico que aumentou a capacidade de reservação de água.

Devido ao seu pioneirismo e criatividade, José Espíndola ganhou reconhecimento internacional e realizou projetos para diversas prefeituras do Brasil e também na Costa Rica. Após se aposentar em 1996, continuou em atividade até 2014 prestando consultoria na área de saneamento para empresas e órgãos públicos.

José Espíndola teve uma parada cardíaca na manhã desta terça-feira (15), deixa a esposa Nereide Jorge Espíndola, seis filhas, sete netos e dois bisnetos.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
All articles loaded
No more articles to load

Destaques

Veja Também