Notícias

Servidores da Educação participam de capacitação para inclusão digital na Educação Especial

Curso teve como foco alunos com Transtorno do Espectro Autista
8 de novembro de 2019
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

 A educação é um direito de todos e prioridade para a Prefeitura de Uberlândia. Como forma de inclusão, durante todo o ano são oferecidas diversas capacitações que aprimoram o atendimento aos alunos, principalmente os da Educação Especial. Nesta sexta-feira (8), no Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz (Cemepe), foi ministrado um curso no para uso de uma nova ferramenta voltada aos estudantes com Transtorno do Espectro Autista (TEA): um software gratuito que pode ser instalado em tablets e smartphones e que serve como ponte na comunicação do usuário.

“Com certeza vai viabilizar a questão da comunicação e a possibilidade de desenvolver cada vez mais a autonomia dessas pessoas. Que elas possam expressar suas ideias, utilizar esses diferentes recursos de tecnologias para que facilite a vida delas, seja em questões pessoais, como na educação, principalmente”, disse Carla Barbosa Alves, assessora pedagógica do Cemepe.

A professora da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Zacarias Pereira da Silva, Maria Fátima Vieira, trabalha com crianças com TEA no turno da tarde e acredita ser uma nova e importante estratégia. “Para mim, é enriquecedor. Amo o que faço, adoro trabalhar com essas crianças. Eles nos fazem crescer e ver de outra forma o que é ensinar. A cada dia a gente ensina e aprende ao mesmo tempo. Eu fiquei muito feliz quando eu vi que o município novamente está nos dando a chance de crescer na era da tecnologia, o que é muito importante”, disse.

O objetivo foi capacitar os profissionais para aprimorar o atendimento aos mais de 350 alunos com TEA atendidos pela rede municipal. A secretária municipal de Educação, Tania Toledo, destacou que o trabalho junto aos estudantes com transtorno do espectro autista exige um cuidado diário, em busca do desenvolvimento da autonomia.

“Por ser a escola um espaço de vivência e convivência, a utilização de algumas ferramentas no contexto escolar contribui bastante para o desenvolvimento desses estudantes. Ao oferecer propostas pedagógicas diversificadas, é possível atender as especificidades de cada estudante, com suporte e assessoramento contínuo aos professores”, destacou a secretária.

A capacitação foi proporcionada pela Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Educação, em conjunto com a empresa “Aprendizagem Diferente, Façamos uma Sociedade Mais Inclusiva” (APDIF), com apoio do Print Mac, que ofereceu a proposta de softwares gratuitos e inovadores que podem colaborar com a inclusão desses estudantes.

Contratação de profissionais qualificados

Como uma das formas de aprimoramento da Educação Especial, em julho deste ano a SME realizou a contratação de 405 profissionais de apoio para atuarem em sala de aula, na educação especial e na educação infantil (de 0 a 3 anos). Trata-se do cumprimento da Lei Municipal nº 661, de 8 de abril de 2019, que, dentre outras atribuições, criou o cargo “Profissional de Apoio”.

Além de toda assistência nas salas de aulas regulares, o AEE oferece outras atividades no contraturno, com salas de recurso, onde o professor complementa (no caso de alunos superdotados) e suplementa (os demais alunos) o atendimento educacional realizado nas salas regulares.

Atualmente, o Município atende cerca de 2.300 alunos especiais. A partir desse número, foram designados 152 professores de apoio e 212 cuidadores para as escolas da rede.

Para mais informações sobre o Atendimento Educacional Especializado, ligue no (34) 3212-4363 ou procure o Cemepe, que fica na avenida  Professor José Inácio de Souza, número 1.958, no Bairro Brasil. 

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também