Notícias

Prefeitura segue com ações para se tornar ‘Cidade Amiga do Idoso’

Primeira fase do projeto consiste em aplicação de um questionário aos idosos com perguntas sobre vários serviços oferecidos no município
9 de dezembro de 2019
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Com questões sobre acessibilidade, moradia, inclusão social, oportunidades para aprendizagem, entre outros temas relevantes ao cuidado com a pessoa idosa, a Prefeitura de Uberlândia está aplicando um questionário para conhecer melhor esse público. A atividade, denominada de Diagnóstico Municipal, avalia a realidade local de acordo com critérios recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e faz parte de umas das etapas da Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa (EBAPI), criada pelo Governo Federal. 

Em Uberlândia, o projeto foi nomeado de “Estratégia Uberlândia Cidade Amiga do Idoso”. Nesta primeira etapa, após a adesão, serão feitas aproximadamente 100 entrevistas em cada um dos quatro setores da cidade, além de avaliação em grupos de idosos nas unidades de saúde, levantamento das ações, serviços e atendimentos no município.

A aposentada Dinaci de Oliveira foi uma das pessoas que já responderam ao questionário aplicado pela equipe da Secretaria Municipal de Saúde, que é a coordenadora das ações. Para a aposentada, entrevistada no ambulatório da Unidade de Atendimento Integrado (UAI) Martins, localizada no setor central-norte, as questões elaboradas foram essenciais e ajudarão os profissionais a conhecerem mais sobre a população com mais de 60 anos na cidade.

“Gostei muito de participar porque respondi questões sobre transporte, lazer e outras atividades. O sentimento é de que estão nos ouvindo e tentando entender melhor o que passamos no dia a dia. Espero que o projeto possa elaborar mais ações voltadas para o público idoso”, comentou.

Só após a realização deste Diagnóstico Municipal que poderá ser traçado um Plano de Ação para que o município execute todas as propostas elaboradas em parceria com empresas privadas, instituições não governamentais, universidades e sociedade em geral. Segundo uma das coordenadoras das ações do projeto “Estratégia Uberlândia Cidade Amiga do Idoso”, Cristiane Finotti. Agora, com o Diagnóstico Municipal, o trabalho é conhecer a realidade local, inclusive identificando o potencial do poder público e do setor privado para contribuir na melhoria da qualidade de vida das pessoas idosas.

“É um processo de busca. Os princípios norteadores são os de proteção à população idosa vulnerável, contribuindo para o envelhecimento saudável, ativo e sustentável. A estimativa é finalizar ainda neste ano a fase do questionário para traçarmos um panorama dos serviços oferecidos à população idosa já no ano seguinte.”

Ainda segundo Finotti, serão desenvolvidas várias etapas e o município receberá selos, representados por estrelas, para cada uma delas. O município já tem o selo “Adesão” e também criou o Comitê Gestor Municipal Intersetorial para planejamento e acompanhamento dos trabalhos e elaboração do Plano de Ação após os dados coletados. Fazem parte do comitê, além da Secretaria de Saúde e do Conselho Municipal do Idoso, representantes das secretarias de Educação, Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Planejamento Urbano e Trânsito e Transporte.

Prefeitura segue com ações para se tornar ‘Cidade Amiga do Idoso’ 1
Simone Almeida/Secretaria de Governo e Comunicação

Com o término do Diagnóstico e a elaboração do Plano de Ação, o município ganhará mais uma estrela, referente ao selo “Plano”. A etapa seguinte, que equivale ao selo “Bronze”, é a criação de um projeto de lei, que deverá ser apreciado pela Câmara de Vereadores. Depois dessas fases, o Município poderá iniciar as atividades contidas no Plano de Ação, a fim de conquistar os selos “Prata” e “Ouro”, bem como o título de “Cidade Amiga da Pessoa Idosa”.

Estratégia ‘Brasil Amigo da Pessoa Idosa’

Elaborada pelo Governo Federal, a Estratégia “Brasil Amigo da Pessoa Idosa” (Ebapi) é um conjunto de iniciativas que têm por objetivo melhorar a qualidade de vida de pessoas com mais de 60 anos e, consequentemente, de cidadãos de todas as faixas etárias. Por meio da estratégia, o Governo Federal incentiva as cidades a promoverem ações destinadas ao envelhecimento ativo, saudável, sustentável e cidadão da população, principalmente das pessoas mais vulneráveis.

Dividida em etapas, a Ebapi vai desde a adesão dos municípios, com a criação de conselhos e realização de diagnósticos, até a elaboração de planos municipais e de legislação que apoiem a execução das ações voltadas para um envelhecimento saudável da população local.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também