Notícias

Prefeitura determina troca das lâmpadas de todos os semáforos da cidade

Mais de 300 equipamentos, que antes contavam com lâmpadas incandescentes, receberão iluminação a LED; contrato prevê também a instalação de botoeiras acessíveis
16 de janeiro de 2020
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Nos últimos anos, Uberlândia vem se tornando uma cidade cada vez mais inteligente e inovadora. Mais uma prova disso é que, na manhã desta quinta-feira (16), foi anunciado a substituição das lâmpadas incandescentes de todos os sinaleiros do município por equipamentos de iluminação a LED. A partir de agora, os 332 semáforos terão as bolachas (placa circular que abriga as lâmpadas dos sinais) trocadas, além da instalação de mais de 1,2 mil botoeiras acessíveis aos deficientes visuais.

O investimento da atual administração é de R$ 5,2 milhões, provenientes dos Fundo Municipal de Trânsito e Transportes, e a responsável por executar o serviço é a Terra Sinalização Eireli, empresa escolhida por meio de licitação. A previsão é de que o serviço seja concluído ao longo deste ano.

“Essa substituição gera uma economia aos cofres públicos com energia elétrica, que será 94% menor do que com o uso das lâmpadas incandescentes. Nós começamos a empregar essa tecnologia no município quando instalamos esse tipo de iluminação na avenida Rondon Pacheco”, destacou o Secretário Municipal de Trânsito e Transportes, Divonei Gonçalves. 

Atualmente, Uberlândia tem uma frota de mais de 460 mil veículos e por isso as inovações precisam ser constantes. “Temos trabalhado diariamente para buscar melhorias ao trânsito de nossa cidade, não só com obras, mas também com o reforço da sinalização, de modo a trazer mais fluidez e segurança. As botoeiras, que são instaladas junto aos semáforos e próximas as faixas de pedestres, emitirão também um sinal sonoro”, finalizou Divonei. 

Tecnologia de ponta

A tecnologia LED, sigla em inglês para “diodo emissor de luz”, possui diversos benefícios. Dentre eles: intensidade luminosa 30% maior que a de uma lâmpada incandescente, vida útil que pode chegar até 100 mil horas (25 vezes mais que uma lâmpada convencional), baixo custo de manutenção, livre de metais pesados e não apresenta o “efeito fantasma” (falsa sensação de iluminação do foco devido à incidência de luz solar).

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também