Notícias

Procon divulga pesquisa de preços de materiais escolares

Levantamento, além de mostrar variação de preços, também oferece dicas aos consumidores
30 de janeiro de 2020
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Secretaria Municipal de Governo e Comunicação

Com a proximidade do retorno às aulas, a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Uberlândia realizou uma pesquisa de preços dos materiais escolares. No levantamento, realizado entre os dias 20 e 24 de janeiro, foram analisados mais de 60 itens em cinco papelarias localizadas em regiões variadas da cidade. O material, indicando a média entre o menor e maior preço de um mesmo tipo de produto, foi elaborado para auxiliar os consumidores a economizar.

Na pesquisa, os fiscais do Procon catalogaram objetos como canetas, cadernos, borrachas e mochilas. Pelo levantamento, por exemplo, o consumidor poderá encontrar a caixa com 12 canetas hidrográficas por R$ 5,50 e R$ 24,99, dando uma variação 450%. Já a caneta esferográfica azul foi encontrada entre R$ 0,99 e R$ 1,30.  

“Foram 64 itens avaliados nesta pesquisa e a diferença no preço entre alguns materiais chama a atenção. O mais importante é apresentar que existe uma variação considerável para que o consumidor não compre no primeiro estabelecimento que entrar”, disse o superintendente do Procon, Egmar Souza Ferraz.

Dicas

Além da pesquisa de preços, o Procon também se preocupou em preparar dicas para os consumidores. Por isso, durante esse período que antecede o início do ano letivo, é importante, antes de ir às compras, verificar quais dos produtos da lista de material o consumidor já possui em casa e, ainda, se estão em condição de uso, evitando assim, compras desnecessárias. Outra possibilidade de economia pode ser a troca de livros didáticos entre alunos.

O Procon ressalta também que, na lista material, as escolas não podem exigir a aquisição de qualquer produto escolar de uso coletivo (materiais de escritório, de higiene ou limpeza, por exemplo), conforme determina a Lei nº 12.886 de 26/11/2013. O consumidor também deve sempre verificar se o estabelecimento pratica preço diferenciado em função do instrumento de pagamento (dinheiro, cheque, cartão de débito, cartão de crédito).

A pesquisa completa está disponível aqui.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também