Notícias

Uberlândia tem saldo de quase três mil novos empregos em novembro

Mesmo com a pandemia, município possui balanço positivo na geração de postos de trabalho no ano
23 de dezembro de 2020
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A cidade de Uberlândia registrou em novembro o melhor saldo em geração de empregos com carteira assinada no ano. Os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) nesta quarta-feira (23) pelo Ministério da Economia demonstram um saldo positivo de 2.829 contratações no período. Mesmo com a pandemia, o município está com balanço positivo na geração de postos de trabalho no ano, o que demonstra a força econômica da cidade e o resultado de políticas públicas municipais de apoio a empresários e trabalhadores.

“Mesmo com os desafios impostos pela pandemia, viabilizamos medidas para manter nossa cidade forte na geração de emprego e renda. Temos trabalhado firmes com ações sociais de apoio ao trabalhador, como cursos profissionalizantes e administração do Sine. Além disso, desde 2017, retomamos a credibilidade do município, propiciando um bom contexto econômico que atraiu cerca de R$ 3 bilhões em investimento privados”, destacou o prefeito.

Os dados do penúltimo mês do ano mostram 9.525 admissões e 6.766 demissões, resultando no saldo de 2.829 contratações no período. No acumulado do ano, o balanço também segue positivo, com 2.627 postos criados ao longo dos últimos 11 meses. No ranking do mês, Uberlândia ficou na segunda posição de Minas Gerais, atrás apenas da capital Belo Horizonte.

Os dados do Caged mostram que o setor de Serviços foi o que mais contratou, com saldo de 1.362 postos, seguido das áreas de Comércio (813), Indústria (280), Agropecuária (195) e Construção (179).

Economia em ascensão

Apesar dos desafios decorrentes do atual cenário sanitário, econômico e social do país, a Prefeitura de Uberlândia tem procurado formas de manter a economia aquecida, seja na mediação de encontros setoriais com bancos ou ouvindo os mais diversos segmentos por meio do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, seja no desenvolvimento de projetos de estímulo ao empreendedorismo, como a plataforma “Mais Negócio” e a continuidade da oferta de consultoria gratuita Agente Local de Inovação (ALI).

Como resultado, Uberlândia passou da 6ª para a 4ª posição entre os municípios do interior do Brasil com maio Produto Interno Bruno, segundo levantamento divulgado no último dia (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a colaboração, em Minas Gerais, da Fundação João Pinheiro (FJP). Recentemente, a cidade também foi classificada como a 33ª mais competitiva do país e a segunda de Minas Gerais, ocupando a 30ª posição quando a análise de índices recaiu sobre a economia.

A balança comercial também fechou o primeiro semestre de 2020 com superávit de US$ 404,67 milhões. O desempenho foi quase o dobro do resultado obtido no mesmo período de 2019, quando o saldo foi de US$ 227.464.432, indicando um incremento de 78% nas parcerias econômicas com outros países. Hoje, o município é o 5º que mais exporta em Minas e o 43º no ranking nacional (contribuindo com 0,5% de tudo o que o Brasil vende para fora do país).

Apenas entre março e julho, 1.496 empresas de pequeno, médio ou grande porte foram constituídas- número cinco vezes superior aos 278 encerramentos registrados no mesmo período. As 4.373 formalizações de microempreendedores individuais (MEI) superaram em três vezes as 1.644 baixas de registros na mesma época.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também