Notícias

Aplicativo Salve Maria completa dois anos de apoio às mulheres

Aplicativo desenvolvido pela Prefeitura é referência no auxílio ao combate à violência doméstica
8 de março de 2021
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Divulgação Comunicação/PMU

Desde oito de março de 2019, as mulheres de Uberlândia contam com um importante aliado: o aplicativo Salve Maria. Fazendo referência à Lei Maria da Penha, a ferramenta disponibilizada pela Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Governo e Comunicação, simplifica e facilita o processo de denúncia de violência doméstica sofrida pelas mulheres em Uberlândia.

O “Salve Maria” foi idealizado pela secretária municipal de Governo e Comunicação, Ana Paula Junqueira em 2019 e desde a sua criação se tornou referência para outras cidades da região. O aplicativo já possui 12.648 downloads realizados, 714 denúncias e o “botão do pânico”, usado em situações de perigo iminente, foi acionado 426 vezes.

Para Ana Paula Junqueira, possibilitar a expansão da tecnologia para outros lugares fortalece o movimento de apoio às mulheres. “Temos nos empenhado em desenvolver políticas de promoção da segurança em nossa cidade e temos que estar ainda mais atentos durante esse período de pandemia, com o isolamento social. O Salve Maria especificamente desenvolvido para o público feminino, que tem à mão um recurso simples e de fácil acesso, mas capaz de salvar vidas, tem se mostrado extremamente eficiente ao auxiliar no combate à violência doméstica”, avaliou a secretária de Governo e Comunicação de Uberlândia.

Funcionalidades

Desenvolvido pela Empresa Processamento de Dados de Uberlândia (Prodaub), o aplicativo consiste em apenas três botões: Botão do Pânico, Denúncia e Instruções de Uso.

 A funcionalidade do Botão do Pânico é emitir um “chamado de localização”, ou seja, ele compartilha a localização em tempo real. Em ocorrências de extrema urgência, basta que a denunciante o utilize para acionar imediatamente a presença dos policiais militares.

No botão de “Denúncia”, a pessoa encontra um pequeno questionário com perguntas que especificam o tipo de violência, se a denúncia será anônima, dados da vítima e agressor, entre outras. A vítima ou a denunciante ainda tem a possibilidade de anexar fotos ou vídeos antes de enviar.

 O terceiro botão “Instruções de Uso”, é um guia de utilização, que deve ser lido quando o download for executado. 

Quem possui smartphones com o sistema operacional Android pode baixar o app na loja virtual Play Store. Para o sistema iOS, o recurso está disponível no App Store.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também