Notícias

Taxa de contágio da Covid-19 começa a cair com restrições adotadas em Uberlândia

Ritmo de contaminação caiu de 1,25 para 1,04 desde que medidas mais restritivas entraram em vigor no intuito de conter o avanço do coronavírus
8 de março de 2021
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

As restrições mais duras adotadas pela Prefeitura de Uberlândia na luta para conter o avanço da Covid-19 na cidade já estão surtindo efeito. Se até 4 de fevereiro deste ano a taxa de contágio da doença estava em quase 1,25 (100 infectados têm potencial para transmitir o coronavírus para outras 125 pessoas), o monitoramento feito até o fechamento da semana até 1º de março aponta que o índice caiu para 1,04 (100 infectados transmitem para outras 104 pessoas), segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). A taxa de contágio considerada estável pelos especialistas está abaixo de 1, bem como o índice seguro para um retorno mais amplo das atividades fica em 0,5 (quando duas pessoas com a doença têm potencial para infectar somente uma outra).

O ritmo de proliferação do vírus sofreu dois fortes impactos neste último mês: o primeiro com a deliberação número 4, definida no começo do mês pelo Comitê de Enfrentamento à doença, e o segundo com a deliberação número 6, de 22 de fevereiro. A partir desse último documento, foi mantido o toque de recolher diário das 18h às 5h, ampliando as medidas para autorização de abertura de lojas físicas apenas dos serviços essenciais e adoção de lei seca, entre outras.

“Eu sei que todos nós estamos nos sacrificando muito neste momento. Isso está longe do que consideramos o ideal, tenham certeza, e estamos trabalhando, junto à toda equipe da Prefeitura, comitê e demais entes públicos, sempre com base em dados científicos e técnicos, para que possamos retomar nossas rotinas. Infelizmente, com os leitos de UTI lotados em toda a rede em decorrência do novo coronavírus, temos que estar em constante alerta. E cada morador de Uberlândia precisa ser um aliado, evitando sair ao máximo, mantendo distanciamento social, usando máscara quando estiver fora de casa e higienizando as mãos com frequência. A nossa parte, como poder público, está sendo feita”, reforçou o prefeito Odelmo Leão.

Batalha contra um vírus agora muito mais agressivo

Diferente do que ocorreu em 2020, os casos graves de Covid-19 têm demandado internação mais cedo e por um período mais longo, com um número cada vez maior de pessoas abaixo dos 60 anos infectadas. Nesta semana, a cidade recebeu a confirmação de que circula localmente duas novas cepas do vírus, que são mais agressivas que o original- a britânica e a P.1, encontrada em Manaus (AM).

Apesar do cenário preocupante, o percentual de letalidade municipal, de 1,59%, continua mais baixo do que cidades como São Paulo (2,92%), Belo Horizonte (2,41%) e Ribeirão Preto (2,33%). Considerando o período entre o início da pandemia, em fevereiro de 2020, e 1º de março de 2021, Uberlândia contabiliza 60.933 pacientes recuperados da Covid-19, 9.376 casos em acompanhamento e 1.204 óbitos. Parte do alto número de pessoas recuperadas ou em recuperação se deve ao atendimento público municipal amplo, que atualmente absorve a maior parte da demanda da cidade e também da região.

Investimento municipal é constante

Em um ano de batalha pela vida na cidade, a Rede Municipal de Saúde criou 112 leitos de Unidade de Terapia Intensiva exclusiva para o tratamento de pacientes com a doença. No mesmo período, o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) cadastrou 25 leitos do tipo e a rede privada, 40.

A abertura dos leitos de UTI foi apenas um dos investimentos feitos pela Prefeitura de Uberlândia para garantir atendimento digno e de qualidade para toda a população- mantendo um compromisso assumido de forma independente da pandemia. Toda a Rede Municipal de saúde foi reforçada com equipamentos, profissionais e medicamentos, conforme preconizados pela Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além disso, a Prefeitura participou, desde o início, das discussões em torno da compra de vacinas para proteger os moradores, dispondo-se a direcionar recursos para essa finalidade. No começo do mês, o prefeito Odelmo Leão manifestou oficialmente interesse em aderir ao consócio público para a compra dos imunizantes proposto pela Frente Nacional de Prefeitos.

O Município também implementou um serviço de sanitização para circular diariamente pelas ruas. O atendimento em saúde ganhou apoio da tecnologia, por meio do recurso “Médico Virtual”, disponível pelo “Zap da Prefeitura”.

Para aumentar ainda mais a transparência de suas ações, o Portal da Prefeitura conta com uma página exclusiva com informações sobre o enfrentamento ao novo coronavírus, contendo orientações de prevenção, documentos e decretos, boletim epidemiológico, vacinômetro e todas as medidas adotadas em torno do assunto. Nas redes sociais, as informações também são amplamente divulgadas desde o primeiro dia de combate ao vírus.

Muitas dessas ações foram adotadas antes que recursos estaduais e federais fossem enviados ao Município para ajudar no combate ao vírus e o empenho da administração ganhou o apoio do setor empresarial, que tem buscado formas de apoiar o poder público, com equipamentos, insumos e suporte técnico.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também