Notícias

Gestante e mulheres no pós-parto devem se proteger contra a gripe

Pouco mais de 30% de cada grupo foi imunizado até o momento. Vacina protege contra três tipos de Influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B
5 de maio de 2021
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Cleiton Borges/ Secretaria de Governo e Comunicação

As gestantes e as mulheres no pós-parto até 45 dias também fazem parte do grupo de risco que deve receber a dose da vacina contra a gripe. A imunização deste grupo começou no dia 12 de abril e até o momento 2.316 gestantes e 374 mulheres no pós-parto foram vacinadas, representando pouco mais de 30% da meta para cada grupo.

A primeira fase, que acontece até 10 de maio, também contempla crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias) e trabalhadores da saúde. Estes grupos também estão com baixa adesão, segundo a coordenadora do Programa de Imunização, Cláubia Oliveira.  “Temos que atingir pelo menos 90% para cada público, e não temos nem 50% ainda. Sabemos que muitas pessoas estão inseguras devido à situação da pandemia, mas todas as medidas de prevenção à transmissão da Covid-19 estão sendo adotadas pelas equipes de saúde nas unidades e nas salas de vacinas”.

Neste primeiro momento, a vacinação acontece nas salas de vacina das Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF), das 7h30 às 16h30, nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs) dos bairros Tibery, Martins e Planalto e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), das 8h às 18h30.

A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde é trivalente, ou seja, protege contra três tipos de Influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B. Também conhecida como gripe, a Influenzaéumainfecçãoviralagudaqueafetaosistemarespiratório. Se não for tratada a tempo, pode causar complicações graves e levar à hospitalização e até mesmo à morte, principalmente nos grupos de alto risco. 


 “A vacina contra a Influenza reduz as chances de desenvolver formas graves da doença, prevenindo hospitalizações, mortes e consultas nas unidades de saúde. Além do mais, a circulação dos vírus Influenza e do SARS-CoV-2 (Covid-19) reforça, mais uma vez, a importância da prevenção para aliviar a sobrecarga no sistema de saúde durante a pandemia”, ressaltou a coordenadora do Programa de Imunização.

Outras vacinas

Neste ano, a imunização contra a gripe coincidirá com a vacinação contra a Covid-19. Segundo a recomendação do Ministério da Saúde, devido à gravidade das complicações provocadas pelo novo coronavírus, a administração da vacina contra a Covid-19 deve ser priorizada em quem faz parte do grupo prioritário e ainda não recebeu as doses.  “Vamos priorizar a imunização contra a Covid-19 e agendar a da gripe, respeitando o intervalo mínimo de 14 dias entre as vacinas”, explicou a coordenadora do Programa de Imunização, Claubia Oliveira.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também