Notícias

Conferência debate sobre assistência social em Uberlândia

Evento on-line também foi uma preparatória para as etapas regional, estadual e nacional
27 de agosto de 2021
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Considerada pela Prefeitura de Uberlândia como uma das principais áreas na promoção da qualidade de vida da população em geral, a prestação de serviços sociais foi abordada nesta quinta-feira (27) durante a 13ª Conferência Municipal de Assistência Social. O evento on-line foi promovido pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS). Neste ano, o tema abordado foi “Assistência Social: direito do povo e dever do Estado, com financiamento público, para enfrentar as desigualdades e garantir proteção social”.

A Conferência serviu para avaliar a situação atual e os avanços do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), propor diretrizes para o aperfeiçoamento do sistema e reafirmar a assistência social como política pública garantidora de direitos. As atenções dos participantes também se voltaram para a necessidade de se criar mecanismos de proteção social após a pandemia de Covid-19. Ao término foi elaborado um relatório com propostas voltadas para a assistência social e que serão encaminhadas para o Município, Estado e União. O evento municipal também foi uma preparatória para as etapas regional, estadual e nacional.

A secretária de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação, Iracema Marques, destacou a necessidade de a assistência social ter, cada vez mais, um papel de destaque em todos os cenários. “Assistência social não é apenas distribuir cestas básicas, é dar apoio pra quem precisa de apoio”, disse.

Para o promotor de Justiça, Epaminondas da Costa, da Vara da Infância e da Juventude de Uberlândia, o momento atual é mundialmente desafiador, sobretudo para o setor de assistência social. “É preciso pensar em novas alternativas, principalmente para o enfrentamento de situações agravadas pela pandemia”, destacou.

Eixos temáticos

O tema principal da Conferência foi abordado em cinco eixos que subsidiaram as discussões e deliberações. Ao apresentá-los, a assistente social da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação, Josefina Reis, destacou que muitas pessoas entendem a assistência social como algo voltado apenas para os menos favorecidos economicamente. “Isto é um pensamento errado. Ela é voltada para todas as pessoas em situação de vulnerabilidade social”, afirmou. Josefina Reis também explicou que os eixos da Conferência foram definidos com a proposta de cobrir ao máximo todas as áreas que necessitam.

O eixo um tratou sobre a proteção social não-contributiva e o princípio da equidade como paradigma para a gestão dos direitos socioassistenciais no enfrentamento das desigualdades. No eixo dois foi discutido o financiamento e o orçamento como instrumento para uma gestão de compromissos e corresponsabilidades dos entes federativos para a garantia dos direitos socioassistenciais.

Os debates do eixo três foram sobre o controle social, o lugar da sociedade civil no SUAS e a importância da participação dos usuários. O eixo quatro foi no tocante à gestão e acesso às seguranças socioassistenciais e a articulação entre serviços, benefícios e transferência de renda como garantias de direitos socioassistenciais e proteção social. Por último, o eixo cinco tratou sobre a atuação do SUAS em situações de calamidade pública e emergências.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também