Notícias

37ª Campanha de Vacinação Antirrábica tem início na área rural

Imunização de cães e gatos ocorre das 7h30 às 17h30. Etapa urbana começa em 23 de outubro
13 de setembro de 2021

Iniciada nesta segunda-feira (13), a 37ª Campanha de Vacinação Antirrábica começou a percorrer propriedades rurais para imunizar cães de gatos. A estimativa do Programa de Controle da Raiva, do Centro de Controle de Zoonoses, é de que sejam aplicadas cerca de 14 mil doses na etapa rural que segue 15 de outubro. Devem receber a dose cães e gatos com mais de três meses de vida, com exceção daqueles que estejam doentes ou no período de gestação ou lactação.

A iniciativa da Prefeitura visa garantir que a cidade continue sem registros da doença – uma infecção viral aguda que não tem cura, e é transmitida para o ser humano por meio da saliva de animais. A coordenadora do programa, Lilian Andrade, destaca que os proprietários devem ter consciência e aproveitar a oportunidade de prezar pela saúde dos animais.

“A raiva uma doença transmissível ao homem. A partir dos sintomas, o animal encaminha para óbito em poucos dias, pois a letalidade é de 100%.  A prevenção é a vacinação anualmente. Animais doentes, gestantes ou lactantes devem ser encaminhados ao Centro de Controle de Zoonoses após o desmame ou quando estiverem sadios”, orientou.

A passagem das equipes na zona rural ocorre de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30, até 15 de outubro. A ação ocorre dia 18 em Tapuirama, e dia 25 em Cruzeiro dos Peixotos. No dia 2 de outubro será a vez dos setores das chácaras Jockey Camping, Douradinho e Panorama. 

Etapa urbana

Na área urbana, a campanha ocorrerá de 23 a 30 de outubro. O esquema de vacinação está sendo elaborado para atender todos os setores da cidade, seguindo os protocolos de biossegurança e distanciamento social. Quem não conseguir levar os animais para a imunização, basta ligar no Centro de Controle de Zoonoses: 3213-1470.

Combate à raiva      

As ações do Programa de Controle da Raiva acontecem permanentemente durante todo o ano, com orientações, trabalhos de bloqueio e monitoramento do vírus, além de um posto de vacinação no CCZ. Um conjunto de fatores que deixa Uberlândia há mais de 30 anos sem registros da doença em cães e gatos.

Embora o município apresente uma realidade positiva, a participação da comunidade é fundamental para manter os índices atuais. A doença não tem cura e pode levar os animais à morte em poucos dias após o surgimento dos primeiros sintomas. O mesmo acontece com o ser humano se não procurar atendimento médico rapidamente após ser mordido por algum cão ou gato infectado.

Compartilhe:

Veja Também

Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies. Ao aceitar, você terá acesso a todas as funcionalidades do site. Se clicar em "Rejeitar Cookies", os cookies que não forem estritamente necessários serão desativados. Para escolher quais quer autorizar, clique em "Gerenciar cookies". Saiba mais em nossa Declaração de Cookies.

Configurações avançadas de cookies

Para melhorar a sua experiência na plataforma e prover serviços personalizados, utilizamos cookies.

Cookies estritamente necessários

Esses cookies permitem funcionalidades essenciais, tais como segurança, verificação de identidade e gestão de rede. Esses cookies não podem ser desativados em nossos sistemas. Embora sejam necessários, você pode bloquear esses cookies diretamente no seu navegador, mas isso pode comprometer sua experiência e prejudicar o funcionamento do site.

Cookies de terceiros

O portal uberlandia.mg.gov.br não tem controle sobre quais cookies de terceiros serão ativados. Alguns cookies de terceiros que podem ser encontrados ao acessar o portal:
Domínios: Google, Youtube, consulte mais em