Notícias

Equipe da Fundação Oswaldo Cruz realiza último dia de visitas em unidades do município

Pesquisadores estiveram em duas escolas e em duas Unidades Básicas de Saúde da Família dos bairros Jardim das Palmeiras e Morumbi
27 de outubro de 2021
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Divulgação/Secretaria de Governo e Comunicação

Com o objetivo de estreitar laços, a equipe de pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) – Rio de Janeiro, foi recepcionada por representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Nesta quarta-feira (27), os pesquisadores foram levados para conhecer as instalações da Escola Municipal Professora Irene Monteiro Jorge e a uma Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) que, assim como a escola, fica no bairro Morumbi. Na última terça (26), as visitas aconteceram na Escola Municipal Professor Leôncio do Carmo Chaves, no bairro Jardim das Palmeiras, e em uma das UBSFs do bairro.

Intitulado de ‘Avaliação sobre o processo de Implantação da Vigilância Alimentar e Nutricional na Atenção Primária à Saúde de Minas Gerais’, o estudo é realizado desde 2010, mas a etapa em que Uberlândia foi incluída teve início nos primeiros meses deste ano.

Esta visita foi a primeira vez que os membros da equipe de pesquisa encontraram o Comitê Gestor de Pesquisa local, formado por servidores de vários setores da Prefeitura de Uberlândia e de outros órgãos ligados ao tema da pesquisa. Até então, as reuniões e trocas de informações aconteciam de forma remota. “A intenção é fazer uma avaliação de como a vigilância está sendo implementada. Nós somos da Fiocruz, não somos daqui. É importante conhecermos como a vigilância é estruturada, aproximarmos dos membros do comitê e conhecermos a realidade da cidade”, disse a coordenadora adjunta da pesquisa, Santuzza Vitorino.

Neste momento inicial, os pesquisadores estão montando as estratégias avaliativas, mas funciona, na prática, como uma troca de conhecimento quanto às políticas públicas que já existem nos municípios. “É uma pesquisa que envolve tanto nós, que somos da academia, quanto os atores relacionados à pesquisa. Ao envolver essas pessoas do município, a ideia é que o estudo tenha uma característica formativa, possibilitando uma capacitação para que essas pessoas também se tornem avaliadoras, sendo capazes de fazer analise e avaliação de outros programas, de outras políticas públicas, caso queiram”, afirmou Santuzza.

A análise proposta pelo estudo se deve ao cenário de coexistência de condições divergentes, como desnutrição, fome e obesidade, que são vistas como importantes problemas de saúde pública. Por isso, será observado, no estudo, quais são as ações e tomadas de decisão diante desse contexto. O estudo começou ainda em 2010 e se encontra na quarta etapa de pesquisa, em que a equipe faz o acompanhamento e análise da Segurança e Vigilância Alimentar e Nutricional na Atenção Primária em municípios de grande porte. Esta etapa da pesquisa está sendo realizada em Uberlândia e Montes Claros, no norte do estado, e tem previsão de se estender até 2023.

“Essa aproximação dos pesquisadores e a troca de informações é válida para os dois lados. Demonstrar e discutir sobre as políticas públicas que já são implementadas na Atenção Primária faz com que tenhamos uma percepção cada vez melhor do trabalho que é feito, além de contribuir para um estudo que pode oferecer melhorias para a nossa e para muitas outras cidades. É uma forma que Uberlândia contribui para uma saúde pública de qualidade.”, disse a coordenadora da Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde, Karina Kelly.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também