Notícias

Campanha de Vacinação Antirrábica protege mais de 90 mil cães e gatos

Dos animais imunizados, 14.600 foram na zona rural e 76.300 da zona urbana; quantidade ultrapassa meta preconizada de 80% da população animal
4 de novembro de 2021
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Valter de Paula/ Secretaria de Governo e Comunicação

Após percorrer a zona rural de Uberlândia e intensificar a proteção contra raiva dos cães e gatos nos postos de vacinação da cidade, o Programa de Controle da Raiva da Secretaria Municipal de Saúde imunizou 90 mil animais, ultrapassando a meta preconizada de 80% da população animal. A 37ª edição da Campanha de Vacinação Antirrábica aconteceu de 13 de setembro a 30 de outubro.

Dos animais imunizados, 14.600 foram na zona rural e 76.300 da zona urbana. Quem não conseguiu vacinar os animais durante a Campanha pode procurar o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30.  Devem receber a vacina os cães e gatos com mais de três meses de vida. Já os animais que estiverem doentes ou no período de gestação e lactação não devem ser imunizados neste período. Nestes casos, o proprietário deve procurar o CCZ para fazer a aplicação após o período de impedimento.

A Campanha de Vacinação Antirrábica visa garantir que a cidade continue sem registros da doença – uma infecção viral aguda que não tem cura e é transmitida para o ser humano por meio da saliva de animais. Por isso, a coordenadora do programa, Lilian Andrade, destaca a importância da vacinação.

“A partir dos sintomas, o animal encaminha para óbito em poucos dias, pois a letalidade é de 100%. Também pode ser fatal nos seres humanos se não houver acompanhamento médico. A prevenção é a vacinação dos animais anualmente. Na campanha deste ano, conseguimos ultrapassar a meta, imunizando 84% da população animal. Tivemos um bom resultado e adesão da comunidade”, destacou.

As ações do Programa de Controle da Raiva acontecem permanentemente durante todo o ano, com orientações, trabalhos de bloqueio e monitoramento do vírus, além de um posto de vacinação no CCZ. Um conjunto de fatores que deixa Uberlândia há mais de 30 anos sem registros da doença em cães e gatos.

Embora o município apresente uma realidade positiva, a participação da comunidade é fundamental para manter os índices atuais.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também