Notícias

Caminhada do Batom reuniu centenas de participantes em prol da valorização das mulheres

Evento realizada neste sábado (12) no Parque do Sabiá foi em alusão ao Dia Internacional da Mulher
12 de março de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Cleiton Borges - Secom / PMU

Mais de 700 pessoas participaram da Caminhada do Batom neste sábado (12) no Parque do Sabiá. O evento em alusão ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no último dia 8, faz parte da programação do Mês Especial da Mulher, realizado pela Prefeitura de Uberlândia, por intermédio da Secretaria Municipal de Governo e Comunicação. O objetivo foi promover uma manhã de atividades físicas e culturais, estimulando principalmente a qualidade de vida da população feminina.

“A Caminhada do Batom é um marco na valorização das mulheres. As mulheres precisam ter seu lugar garantido em todos os espaços da sociedade e em igualdade com os homens. Não podemos permitir que elas sejam discriminadas e vítimas de preconceitos”, disse a secretária municipal de Governo e Comunicação, Ana Paula Junqueira.

As atividades tiveram início com uma concentração no Palco Livre do Parque do Sabiá. Em seguida teve aquecimento, seguido da caminhada até o quiosque multiuso, após a ponte, e uma sessão de alongamentos.

O encerramento contou com um show da cantora Adriana Francisco que destacou a importância da Caminhada. “As lutas são intermináveis e são pelo fim dos preconceitos, da violência e do machismo. O que nós precisamos é de amor e respeito”, disse a artista ao iniciar sua apresentação. 

“As atividades referentes ao Dia Internacional da Mulher são importantes para dar destaque a este assunto tão urgente que é a garantia dos direitos das mulheres. É importante que todas as pessoas se unam em prol de uma maior e melhor valorização da população feminina. Sabemos que muitas ainda não têm seus direitos garantidos na prática e precisamos que isto tenha um fim para que as mulheres possam viver plenamente”, disse a professora de História, Carolina Duarte.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também