Notícias

Pontos que Unem capacita detentos para a fabricação de lençóis para unidades de saúde

Produção pode chegar a cerca de 110 lençóis por dia que serão distribuídos na rede municipal de saúde
11 de abril de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O projeto Pontos que Unem ganhou um novo formato. Agora, com a queda da necessidade de máscaras, os detentos da ala masculina da Penitenciária Professor Pimenta da Veiga passarão a confeccionar lençóis de tecido. Por meio da Oficina de Profissionalização em Costura, que envolve a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação e a Secretaria Municipal de Prevenção às Drogas, Defesa Social e Defesa Civil, os participantes foram capacitados a confeccionar os novos produtos nesta segunda-feira (11), oferecendo oportunidade e esperança. As peças serão utilizadas nas Unidades de Saúde da rede municipal. Há uma estimativa da produção de 110 unidades de lençóis por dia.

Para Iracema Marques, secretária da pasta de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação, o projeto beneficia os detentos e toda a sociedade. “Ensinar um ofício e levar trabalho aos reeducandos é entregar dignidade e mostrar um novo caminho, evitando a reincidência no crime. Além disso, a comunidade também se beneficia com os produtos produzidos por meio da capacitação dos detentos que serão utilizados na rede de saúde da cidade. É um projeto em que todos ganham”, ressaltou a secretária.

Pontos que unem

Criado em maio de 2020, ainda no início da pandemia da Covid-19, o projeto é uma parceria com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e a Subsecretaria de Administração Prisional. A colaboração entre as instituições permitiu que os detentos da Penitenciária Professor João Pimenta da Veiga participassem de uma oficina para aprender a costurar e produzir máscaras para a cidade.

Em 2020 e 2021, o projeto também beneficiou a população de Uberlândia com a fabricação de mais de 70 mil máscaras produzidas pelos reeducandos e que foram distribuídas gratuitamente na rede municipal de saúde (clique aqui).

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também