Notícias

Equipes do Programa da Dengue seguem com ações de combate ao Aedes aegypti

Desde janeiro, já foram feitas diversas ações que atuam diretamente no combate e controle do mosquito; ajuda da população também é essencial
19 de maio de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Preocupada com a saúde e bem-estar da população, a Prefeitura de Uberlândia, com o Programa de Controle da Dengue, continua ativamente com intensas ações de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti. Em diversas frentes, a Secretaria Municipal de Saúde, que registrou até o momento 1.442 casos confirmados de Dengue, atua em toda a cidade com diferentes ações.

Desde janeiro, já foram feitas diversas ações que atuam diretamente no combate ao mosquito, seja na forma adulta ou em larva. Destas estão: 252.356 imóveis tratados, 3.832 visitas após solicitação por telefone, 10.460 visitas domiciliares e em borracharia para recolhimento de pneus, 13.119 visitas em terremos baldios, 816 vistas em casas que estão para venda ou aluguel, 724 inspeções em imóveis abandonados, 73 vedações de caixa d’água, 11.087 ovitrampas monitoradas, além de outros 87.900 pneus coletados em diversos locais e 255.025 mil imóveis pela equipe do termonebulizador.

Mas, segundo o coordenador do Programa de Controle da Dengue, José Humberto Arruda, além dos trabalhos já desenvolvidos pelo município, a população também deve ser uma aliada na luta contra o inseto transmissor da dengue. “A doença vem apresentando picos em todo o país e a participação de cada morador de Uberlândia é fundamental para que o número de pessoas acometidas não aumente de forma desenfreada. A doença deve ser encarada com muita seriedade, pois é causadora de grandes prejuízos na rede pública e nas empresas, com afastamentos de trabalhadores”, pontuou.  

Equipes do Programa da Dengue seguem com ações de combate ao Aedes aegypti 1
Foto: Araípedes Luz /Secretaria de Governo e Comunicação

A população pode contribuir na prevenção à doença desde o momento em que recebe agentes do Centro de Zoonoses nas residências, até quando evita água parada em recipientes, como em vasos de plantas e garrafas, por exemplo. “É cuidar da limpeza de seu quintal e entregar para o centro de controle de zoonoses objetos como armários, tanques, lonas e outros que não são úteis. Importante também verificar calhas, ralos, banheiros de pouco uso que servem como criadouro para reprodução do mosquito transmissor”, completou.

Outro modo, é utilizando o aplicativo Udi sem Dengue, que pode ser baixado gratuitamente. Por meio dele, as pessoas podem informar onde existem focos do Aedes aegypti.

O coordenador do programa reforça, ainda, que os agentes de CCZ trabalham devidamente uniformizados, com coletes numerados, e identificados por meio dos crachás. O trabalho de visita domiciliar acontece de segunda a sexta-feira, sendo essencial para o combate ao mosquito Aedes Aegypti. Em caso de dúvidas durante a visita das equipes, o morador pode entrar em contato com o CCZ pelo telefone: 3213-1470 e informar o nome do profissional ou o número do colete utilizado pelo agente.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também