Notícias

Cessão do antigo Fórum à Prefeitura é estendida por mais cinco anos

A partir de termo assinado junto ao TJMG, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo poderá continuar utilizando a estrutura até 2028
7 de julho de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Nesta semana, a Prefeitura de Uberlândia obteve mais uma conquista para a cultura do município. Foi publicado, no Diário Oficial do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o termo aditivo que prorroga a cessão do prédio onde funcionava o antigo Fórum da comarca e que, hoje, abriga o Centro Municipal de Cultura. O documento foi assinado pelo prefeito Odelmo Leão e pelo até então presidente do TJMG, desembargador Gilson Soares Lemes. A partir da publicação feita, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo poderá permanecer no espaço cedido pelo Estado por mais cinco anos, na praça Jacy de Assis, no Centro.

“Isso é um reconhecimento, por parte do TJMG, do trabalho que estamos fazendo em prol de Uberlândia, enchendo o prédio do antigo Fórum de exposições, aprendizados, eventos e apresentações culturais. Todos nós ganhamos com a assinatura dessa adesão. É um benefício para o nosso povo e para o setor cultural da nossa cidade. Parabéns a todos os envolvidos e vamos continuar trabalhando para oferecer o melhor para Uberlândia”, celebrou o prefeito Odelmo Leão.

Por meio da assinatura do termo aditivo do contrato 075/2018, firmado entre Prefeitura de Uberlândia e TJMG, o tempo de uso do prédio, que vigoraria até 17 de outubro de 2023, foi estendido até 16 de outubro de 2028. Dessa forma, de maneira gratuita, a administração municipal seguirá utilizando o local para cultivar e promover as práticas culturais no município.

Centro Municipal de Cultura

Inaugurado em 13 de fevereiro de 2020, o Centro Municipal de Cultura de Uberlândia representa um marco na história da cultura da cidade. O prédio onde funcionava o antigo Fórum passou a proporcionar leveza, diversidade, arte, ao passo que preserva a estrutura da edificação tombada. Para isso, foram realizadas adaptações sem que fossem construídas paredes ou alterados os aspectos históricos da construção.

Quem visita o Centro Municipal de Cultura encontra obras de arte, como telas, esculturas e pinturas, doadas pela classe artística, que transformaram a frieza da arquitetura em expressão. Nas janelas, por exemplo, cores contrastam com o concreto cru das paredes externas do prédio. Projetado pelos arquitetos mineiros Roberto Pinto Monata e José Carlos Laender de Castro, o prédio foi inaugurado em 1977, seguindo os princípios básicos da arquitetura brutalista, vista no Museu da Arte de São Paulo (Masp) e no Museu da Arte Moderna, do Rio de Janeiro.

A Biblioteca Municipal Juscelino Kubitschek, localizada no primeiro piso do prédio, conta com um vasto acervo bibliográfico, além de disponibilizar de áreas como: o Espaço Incluir, que oferece equipamentos para pessoas com deficiências visuais e físicas; o espaço infanto-juvenil “Vovó Caximbó – Maria Inês Mendonça”; e brinquedoteca.

Também compõem a Biblioteca, uma galeria para exposições, Gibiteca, Sala Multiuso, Sala Uberlândia (dedicada à história da cidade), Hemeroteca (coleção de jornais, revistas e periódicos), área de pesquisa, ilha de computadores para acesso ao acervo eletrônico, sala de oficinas, sala de literatura e a parte administrativa da biblioteca, como a sala da diretora, acervos, entre outros.

Já na antiga sala do júri, que por mais de 40 anos definiu vidas e processos, estabeleceu-se o Cine Teatro Nininha Rocha. Com dois camarins, um palco com piano de calda e capacidade para um público de 103 pessoas, o Nininha Rocha dissemina sons, cores, movimentos e ritmos ao coração da cidade.

No mesmo piso, a Banda Municipal ganhou uma nova casa com salas de ensaios, instrumentos, percussão, maestros, diretor, administrativo e almoxarifado. Vale destacar que, as celas do antigo Fórum foram preservadas, bem como as inscrições históricas e marcas deixadas e incrustadas por quem as frequentaram, garantindo a originalidade do espaço.

Na área externa do Centro Municipal de Cultura, intervenções artísticas, bem como playgrounds para crianças e mesas para jogos levam cultura e diversão à área. Ali também está o mezanino e a “Esplanada Pena Branca e Xavantinho – José Ramiro Sobrinho e Ranulfo Ramiro”, local em que são realizados exposições temporárias, eventos, shows, etc.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também