Notícias

Etapa rural da Campanha de Vacinação Antirrábica começou nesta segunda-feira (1º)

Primeira fase da campanha segue até o dia 2 de setembro; distritos da cidade, Jockey Camping, Chácaras Panorama e Douradinho recebem as equipes nos sábados deste mês
1 de agosto de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Os agentes do Programa de Controle da Raiva começaram, nesta segunda-feira (1º), a percorrer a zona rural de Uberlândia para vacinar contra a raiva os cães e gatos desta região. A ação faz parte da primeira etapa da 38ª Campanha de Vacinação Antirrábica, que acontece até o dia 2 de setembro. A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que não tem cura, e é transmitida para o ser humano por meio da saliva de animais, como cães e gatos infectados.


O primeiro local a ser visitado foi uma propriedade próxima ao anel viário sul, onde trabalha Vivaldo Correa Jesus. No local, ele ajuda a cuidar de 13 cachorros e um gato. “Todos os anos os agentes vêm até aqui. A gente pega um por um, porque sabemos da importância da vacina, que previne contra uma doença que, além de passar para nós, ainda mata os animais”, comentou.

Nesta primeira fase da vacinação, as equipes do Programa de Controle da Raiva, do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), estarão de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30, percorrendo toda a zona rural de Uberlândia. Aos sábados, o trabalho acontecerá em Tapuirama, Cruzeiro dos Peixotos, Jockey Camping, Martinésia, Chácaras Panorama e Douradinho.

A coordenadora do programa, Lilian de Andrade, destaca que os proprietários devem ter consciência e aproveitar a oportunidade de prezar pela saúde dos animais. “A raiva é uma doença transmissível ao homem. A partir dos sintomas, o animal encaminha para óbito em poucos dias, pois a letalidade é de 100%.  A prevenção é a vacinação anualmente”, orientou.

Etapa rural da Campanha de Vacinação Antirrábica começou nesta segunda-feira (1º) 1
Foto: Araípedes Luz/Secretaria de Governo e Comunicação

Devem receber a dose cães e gatos com mais de três meses de vida, com exceção daqueles que estejam doentes ou no período de gestação ou lactação. Neste caso, devem ser encaminhados ao Centro de Controle de Zoonoses após o desmame ou quando estiverem sadios.

Assim como nos outros anos, a coordenadora reforça também a importância dos proprietários das chácaras e fazendas facilitem a entrada dos vacinadores.  “Os agentes estão devidamente uniformizados, portando crachá de identificação, e com equipamentos de segurança para fazer a visita na casa dos moradores. Por isso, pedimos o apoio de todos para que liberem a entrada em suas propriedades”, finalizou.

Combate à raiva      

As ações do Programa de Controle da Raiva acontecem permanentemente durante todo o ano, com orientações, trabalhos de bloqueio e monitoramento do vírus, além de um posto de vacinação no CCZ. Um conjunto de fatores que deixa Uberlândia há mais de 30 anos sem registros da doença em cães e gatos.

Embora o município apresente uma realidade positiva, a participação da comunidade é fundamental para manter os índices atuais. A doença não tem cura e pode levar os animais à morte em poucos dias após o surgimento dos primeiros sintomas. O mesmo acontece com o ser humano se não procurar atendimento médico rapidamente após ser mordido por algum cão ou gato infectado.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Destaques

Veja Também

All articles loaded
No more articles to load