Notícias

Prefeitura promove capacitação para profissionais sobre Monkeypox

Informações sobre a doença e formas de cuidados em casos suspeitos foram discutidos pelos participantes
12 de agosto de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A varíola dos macacos é uma doença causada por um vírus chamado Monkeypox, semelhante ao da varíola comum (Smallpox) e que tem provocado um surto em vários países. Como a transmissão acontece principalmente de uma pessoa para outra por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama e de banho, a Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realizou nos dias 11 e 12 de agosto uma capacitação com todos os profissionais de saúde sobre a doença e as formas de cuidados em casos suspeitos.  

A capacitação sobre Manejo Clínico e Biossegurança de Casos Suspeitos ocorreu no Centro Municipal de Cultura, no Cineteatro Nininha Rocha, com a parceria das equipes da Atenção Primária, Vigilância Epidemiológica e Programa de IST/Aids, para divulgar de maneira rápida e eficaz as orientações.

“Por se tratar de uma doença infectocontagiosa, precisamos que todos os setores de atenção à saúde estejam alinhados com as formas de proteção e controle em situação de emergência em saúde pública”, explicou a coordenadora da Atenção Primária, Karina Kelly de Oliveira.

Além deste alinhamento das informações, também foram apresentadas as formas de definição de caso, processo de notificação, fluxo laboratorial, cuidados com os pacientes e profissionais nas unidades de saúde e durante o isolamento, monitoramento dos contatos e investigação epidemiológica no município.

Monkeypox

Uma das características desta doença é a manifestação na pele, na forma de bolhas ou lesões que podem aparecer em diversas partes do corpo, como rosto, mãos, pés, olhos, boca ou genitais.

Os sinais e sintomas da doença podem durar entre duas e quatro semanas e, na maior parte dos casos, a doença não requer internação hospitalar. No entanto, diante de quaisquer sinais ou sintomas como febre alta e súbita, dor de cabeça e aparecimento de aumento nos gânglios é necessário procurar atendimento médico especializado ou unidades básicas de saúde.

Para que os pacientes recebam os cuidados clínicos, como alívio dos sintomas e indicações sobre o isolamento, deve-se procurar uma unidade de saúde.

Veja mais informações sobre a doença e cuidados aqui.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também