Notícias

PIB de Uberlândia cresce mesmo com pandemia e se mantém entre os 25 maiores do Brasil

Indicador do IBGE mostra o desempenho da economia com base em dados de 2020, no auge dos impactos gerados pela disseminação da Covid-19
16 de dezembro de 2022

 O novo levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em colaboração com a Fundação João Pinheiro (FJP), sobre o Produto Interno Bruto (PIB) das cidades reforça a relevância de Uberlândia para a economia nacional. Baseado em dados de 2020, quando o país vivenciou uma grave crise sanitária e econômica devido à pandemia de Covid-19, o ranking aponta que o desempenho do município, na soma de todos os bens e serviços produzidos no período, ficou entre os 25 melhores do Brasil. O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (16).

Com um PIB de R$ 37,63 bilhões, Uberlândia ocupa a 23ª posição, à frente de municípios como Sorocaba (SP), Ribeirão Preto (SP), Joinville (SC), João Pessoa (PB) e Cuiabá (MT). Em Minas Gerais, a cidade tem a segunda maior atividade econômica – atrás apenas da capital, Belo Horizonte – e a primeira entre as cidades do interior.

O setor de agropecuária foi o que mais contribuiu para o fortalecimento econômico local em uma das fases mais desafiadoras para o país. Na participação setorial e comparando com 2019, o agro teve aumento de 40% em 2020.

“Todos sabem o quanto acreditamos que investimentos estruturantes são essenciais para uma cidade forte. E, assim que retornei para a Prefeitura, em 2017, esse foi o nosso principal compromisso para que recuperássemos nossa posição de referência nacional. Portanto, apesar das dificuldades, Uberlândia conseguiu manter sua força produtiva em um momento bastante crítico”, avaliou o prefeito Odelmo Leão.

Maior atividade econômica

Para o mapeamento do desempenho da economia nos municípios, o IBGE considerou valores adicionados brutos dos três grandes setores de atividade econômica (agropecuária, indústria e serviços) e dos setores públicos de administração, saúde, educação e seguridade social, os impostos, líquidos de subsídios e o PIB per capita.

Clique aqui e saiba mais.

Compartilhe:

Veja Também