Secretaria de Cultura

Museu Municipal

Museu Municipal

O Museu Municipal de Uberlândia funciona no Palácio dos Leões, um belo edifício construído entre os anos de 1916 e 1917, por Cypriano Del Fávero e tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal em 1985. No passado, o prédio abrigou a Prefeitura, a Câmara Municipal e, por um breve período, a biblioteca. Após o seu tombamento, passou a integrar o Complexo da Praça Clarimundo Carneiro, que inclui ainda o Coreto.

Criado em 1986, através da lei nº 4.376, o Museu apresentou a sua primeira exposição em 1º de Maio de 1987. A partir de então vem realizando diversas mostras itinerantes, temporárias e de longa duração, sempre contextualizando o seu rico acervo de peças do cotidiano rural e urbano.  Além das exposições, oferece diversas atividades de ação cultural e educativa envolvendo alunos de escolas públicas e privadas e a comunidade em geral.

A partir de 2000, o Museu apresenta a exposição de longa duração “Nossas Raízes”, que lança um olhar sobre o processo de formação do município de Uberlândia, desde a instalação das primeiras sesmarias até a formação do Arraial de São Pedro de Uberabinha em torno da Igreja Nossa Senhora do Carmo. Ainda no espaço expositivo, temos a exposição permanente “Câmara Municipal: fragmentos da história” e uma sala onde são realizadas exposições temporárias.

Em todas as suas atividades e eventos, o Museu tem procurado se aproximar dos mais diversos públicos. Para tanto, é necessário ir além da exposição e realizar projetos que atraiam tais públicos e tornem significativa a sua visita a esse espaço cultural. Essas ações, aliadas à própria imagem do Palácio dos Leões no imaginário popular, têm contribuído para a consolidação do Museu como uma instituição influente no contexto local e regional.

Convidamos a todas as pessoas que por aqui passem, sejam moradores ou visitantes, que venham ao Museu Municipal conhecer um pouco da nossa história, contada de uma forma toda especial.   

O Prédio

O Palácio dos Leões foi projetado e construído no biênio 1916-1917, por Cypriano D’el Fávero para abrigar o Paço Municipal. Foi inaugurado em 11 de novembro de 1917. Abrigou a Prefeitura até 1966  e a Câmara até 1993. Em 1994 a Secretaria de Cultura deu início às ações para a nova ocupação do edifício. Foi adequado, revitalizado e restaurado pelos arquitetos Rodrigo Meniconi e Alessandro Rende, passando a abrigar o Museu Municipal de Uberlândia.

O Museu

Seu projeto conceitual foi definido como histórico/antropológico, por ser dotado de um acervo composto de objetos de uso cotidiano, por retratar aspectos da vida urbana e rural do município e revelar mentalidades, hábitos e costumes de nossa comunidade. 

O Acervo

Originário da coleção Argemiro Costa, funcionário do Funrural, que guardou objetos antigos durante certo período de sua vida. Com seu falecimento, a família vendeu a coleção à Prefeitura, em 1984. Após aquisição desta coleção, o acervo do museu vem sendo complementado através de doações da comunidade. Atualmente o acervo conta com 2938 objetos.

Reserva Técnica

Local onde se desenvolve um conjunto de ações voltadas à preservação do acervo à comunidade. É no espaço do Anexo do Museu que são feitas as pesquisas e onde se processam a análise, a higienização, a conservação e, quando necessário, os reparos e/ou restauração das peças do acervo. São estes procedimentos que garantem a salvaguarda dos bens culturais, preservando a memória e a história da cidade e região.

Exposição Nossas Raízes

Retrata cenográfica e historicamente aspectos da formação da cidade no período que compreende a ocupação da região no início do século XIX até meados do século XX

Expõe as primeiras sesmarias, cujos territórios deram origem a este Município e que naqueles tempos faziam parte da região conhecida como Sertão da Farinha Podre.

Retrata as primeiras FAZENDAS, especialmente a “São Francisco de Assis”, de João Pereira da Rocha, com exposição de objetos da época.

A COZINHA CAIPIRA reproduz as antigas casas de pau-a-pique e chão de terra batida. Está instalada num cenário com fogão à lenha e utensílios domésticos da época.

Uma MAQUETE da primeira formação urbana reconstitui o traçado do Arraial de Nossa Senhora do Carmo e São Sebastião da Barra de São Pedro do Uberabinha. Por entre recortes do rego d’água estão representados a primeira igreja, o cemitério, a cadeia, a escola e as primeiras casas de moradia da cidade.

Apresenta um cenário contextualizando as CASAS DE COMÉRCIO que existiam na cidade nas primeiras décadas do século XX. Na época, não existiam lojas especializadas em um único produto. Por isso, os estoques desses estabelecimentos comerciais eram bastante diversificados e incluiam desde alimentos e bebidas até plantadeiras de tração animal. Eram também importantes como espaços de convivência onde os moradores da cidade encontravam amigos, encomendavam mercadorias e compartilhavam notícias.

Exposição Câmara Municipal: Fragmentos da História

Exposição permanente que apresenta um pequeno histórico da Câmara Municipal de Uberlândia, que até 1993 funcionou neste prédio. Conta com mobiliário utilizado na Câmara, painéis de texto e imagens e a obra pictórica “Deusa do Progresso”.

EXPOSIÇÕES ITINERANTES:

“O MUSEU VISITA O TEATRO – Tecendo Memórias: fios, tramas e sociabilidades na tecelagem manual”

A exposição Museu Visita o Teatro traz alguns dos artefatos empregados no processo da tecelagem. Usados durante décadas pelas tecedeiras da cidade , esses objetos trazem as marcas do uso e contam uma história silenciosa. Ao visualizá-los é possível imaginar as mulheres reunidas para a fiação, entoando canções tradicionais enquanto as rodas giravam e produziam os fios que mais tarde seriam usados na tecelagem propriamente dita. Vislumbramos também o complexo trabalho ao tear, em que mãos, pés, olhos trabalham em sincronia para a produção dos tecidos. Com essa exposição o Museu oferece ao público mais uma dimensão dos fazeres e sociabilidades locais, enfatizando um dos mais importantes ofícios realizados em nossa cidade.  

Projetos:

“De mala e cuia”

O projeto de extensão “De mala e cuia” tem o objetivo de estreitar as relações da Instituição com a comunidade escolar levando o museu a atuar fora de seu espaço físico.

Trata-se de uma mala itinerante que “viaja” as escolas da cidade levando peças de nosso acervo, materiais com informações sobre o trabalho do museu e sobre patrimônio histórico, jogos/brinquedos que estimulam o pensamento, o conhecimento e relacionamento com crianças e jovens.

O uso do“De mala e cuia” como um recurso pedagógico pode ser inserido nos currículos e disciplinas do ensino formal, servindo ainda como instrumento para a prática da cidadania por meio da problematização de questões de ordem histórico-social, que passam pelo reconhecimento do processo histórico de formação das sociedades, da memória/história e lugares que os sujeitos ocupam nesse processo. Além disso, contribui para a apropriação consciente do patrimônio, fator primordial no processo de preservação e de fortalecimento de sentimentos como pertencimento e identidade.

Atualmente recebe o Projeto de “Bordado dos Pontos da Vovó”, aprovado pelo PMIC, com o tema ” Plantas e Animais do Cerrado”, ministrado pela professora Edinamar Justino. Esse projeto busca recuperar a memória e preservar o acervo de antigos pontos de bordado. Esse projeto acontece toda quarta feira, de 13h30 às 16h30, na Sala Pedagógica do Museu Municipal.

Atendimento de 2ª a 6ª feira – de 8h às 17h30
Visitas monitoradas, agendar pelo telefone: (34) 3214-0068

MUSEU (sede) – Praça Clarimundo Carneiro n° 67 Fundinho – Uberlândia-MG
CEP: 38400-154
Telefone: (34) 3214-0068

MUSEU (anexo) – Rua Tapuirama nº 136 Osvaldo Rezende – Uberlândia-MG
CEP: 38400-436
Telefone: (34) 3235-0971

All articles loaded
No more articles to load