Secretaria de Cultura

Folia de Reis

Folia de Reis

  • Registrada como Patrimônio Imaterial Municipal pelo Decreto nº 16.836 – 23/11/2016. Registro no Livro das Celebrações, Inscrição II, pág. 04.

  • A Folia de Reis é uma homenagem aos três Reis Magos, anunciadores do nascimento do Menino Jesus. Ela é composta por grupos de cantadores e instrumentistas que representam a jornada cumprida pelos três Reis Magos, ou simplesmente Santos Reis para seus devotos, do Oriente a Belém, até o encontro com Menino Deus para saudá-lo. 

  • A origem da Folia de Reis não é precisa. Sabe-se que se trata de uma manifestação já existente na Europa e trazida para o Brasil pelos portugueses e fundamenta-se na passagem Bíblica do evangelho de Mateus (2: 1-12) que narra a saída de magos do Oriente para visitarem o Menino Jesus, quando do seu nascimento.

  • Guiados pela Estrela do Oriente, os magos chegaram à Belém levando ouro, mirra e incenso, como presente para Aquele que seria o Salvador do povo judeu. Referenciados como astrólogos por terem lido no céu o sinal da chegada de Jesus, os magos citados no trecho bíblico foram apropriados pelo imaginário popular e denominados como Gaspar, Belchior e Baltazar. 

  • No processo de consolidação da religiosidade popular incrementada por elementos festivos, a Folia de Reis está inserida nas comemorações do ciclo natalino e é representada por jornadas de grupos de cantores e instrumentistas que visitam as casas de fiéis, com a bandeira que simboliza o encontro dos Reis Magos com Jesus, Maria e José e abençoam, por meio dos cantos, as famílias que os recebem em seus lares. 

  • Nesse contexto, os Reis Magos foram transformados em Santos Reis por seus devotos e são louvados em várias regiões do Brasil. Assim, a Folia de Reis se mostra uma das expressões mais consistentes do catolicismo popular brasileiro, que se caracteriza pela utilização de símbolos, práticas e adoração a santos nem sempre oficiais, mas sem se desvincular da sua religião de origem.

  • Essas manifestações do catolicismo popular desenvolveram características próprias, como o forte misticismo, em busca de proteção e bênçãos; a alegria presente nos cultos em forma de festas destinadas aos santos padroeiros; uma espontaneidade que se mostra na junção entre sagrado e profano, ao se contrapor à erudição do catolicismo oficial; e possui manifestações marcadamente regidas pelo calendário, em que a vida da comunidade também se organiza em torno de tais eventos. 

  • Em Uberlândia, as celebrações realizadas pelas Folias de Reis são feitas nas casas dos devotos, nas igrejas/capelas, nos galpões, dentre outros espaços, por meio de cantos e objetos sagrados que compõem os rituais da manifestação. Sem a presença de padres ou qualquer autoridade formal pertencente à Igreja, as casas dos devotos se transformam em santuários sagrados nas jornadas dos giros, ou nas festas, recebendo as bênçãos dos foliões. A proteção propagada pelas Folias de Reis vem da fé e devoção compartilhadas entre foliões e devotos. 

  • Os foliões são divulgadores dessa tradição religiosa que se realiza durante todo ano em Uberlândia. Juntos os devotos divulgam o “saber da devoção” em Santos Reis, transmitindo, por meio de práticas e saberes, a fé que é renovada a cada ano pelo cumprimento de votos por todo o município. 

  • As Folias são responsáveis por intermediar os pedidos de graças, assim como os agradecimentos dos devotos pelos milagres alcançados. Essa tradição religiosa é um dos elementos que moldaram e formaram a identidade da comunidade local e, portanto, merecedora de ser Registrada como Patrimônio Imaterial do Município.
All articles loaded
No more articles to load

Facebook

DESTAQUES

All articles loaded
No more articles to load

SIGA UBERLÂNDIA

Siga Uberlândia
QUERO RECEBER NOTÍCIAS DA PREFEITURA DE UBERLÂNDIA. *