Notícias

Uberlândia abre empregos com carteira assinada em todos os setores

Cidade teve em outubro o maior saldo do ano, segundo dados do Caged
26 de novembro de 2020
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Melhor mês deste ano para a geração de emprego com carteira assinada em Uberlândia, outubro registrou saldo positivo de 1.703 vagas abertas, conforme balanço do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira (26) pelo Ministério da Economia. É o quinto levantamento mensal consecutivo com alta no mercado de trabalho da cidade. Além disso, o número de contratações superou os desligamentos em todos os setores durante o período.

 “Acredito que todo o trabalho e planejamento para recuperar a confiança da população e dos investidores locais e externos nos últimos quatro anos nos preparou para este momento em que Uberlândia, mesmo vivenciando uma pandemia, demonstra resiliência para seguir rumo à recuperação econômica. Sabemos que os desafios continuam e talvez não sejam menores no próximo ano devido à conjuntura nacional e internacional. Contudo, o compromisso em aplicar o que há de melhor em política pública para a nossa cidade continua”, avaliou o prefeito Odelmo Leão.

Os dados do Caged mostram que o “Comércio” foi o setor que mais contratou, com saldo de 458 postos, seguido da área de “Serviços” (417), “Indústria” (368), “Agropecuária” (352) e “Construção” (108). O desempenho do município está à frente de cidades como São José dos Campos (1.158) e Santo André (1.398), no interior de São Paulo.

Entre as mais competitivas do país

Em ranking nacional entre as cidades mais populosas divulgado neste mês, Uberlândia foi classificada como a 33ª mais competitiva do país e a segunda de Minas Gerais, ocupando a 30ª posição quando a análise de índices recaiu sobre a economia. Com as políticas de estímulo ao desenvolvimento, qualidade de vida e empreendedorismo implementadas pela Prefeitura, o Município a cidade atraiu mais de R$ 3 bilhões em investimentos desde janeiro 2017 até julho deste ano em diversos setores dentro da indústria, comércio e serviços, como saúde, financeiro, supermercadista, construção civil, educação, automotivo, alimentação, telecomunicações, energia fotovoltaica, bebidas, hoteleiro, transporte e agronegócio, entre outros.

A balança comercial de Uberlândia fechou o primeiro semestre de 2020 com superávit de US$ 404,67 milhões. O desempenho foi quase o dobro do resultado obtido no mesmo período de 2019, quando o saldo foi de US$ 227.464.432, indicando um incremento de 78% nas parcerias econômicas com outros países. Hoje, o município é o 5º que mais exporta em Minas e o 43º no ranking nacional (contribuindo com 0,5% de tudo o que o Brasil vende para fora do país).

Apenas entre março e julho, 1.496 empresas de pequeno, médio ou grande porte foram constituídas- número cinco vezes superior aos 278 encerramentos registrados no mesmo período. As 4.373 formalizações de microempreendedores individuais (MEI) superaram em três vezes as 1.644 baixas de registros na mesma época.

Apesar dos desafios decorrentes do atual cenário sanitário, econômico e social do país, a Prefeitura de Uberlândia tem procurado formas de manter a economia aquecida, seja na mediação de encontros setoriais com bancos ou ouvindo os mais diversos segmentos por meio do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, seja no desenvolvimento de projetos de estímulo ao empreendedorismo, como a plataforma “Mais Negócio” e a continuidade da oferta de consultoria gratuita Agente Local de Inovação (ALI).

Nesta semana, o prefeito Odelmo Leão ainda anunciou a injeção de mais de R$ 193 milhões na economia a partir de dezembro com os pagamentos de salários e 13º aos servidores públicos e colaboradores das terceirizadas da área de Saúde, bem como com a antecipação de férias dos profissionais da Educação.

Fonte: http://pdet.mte.gov.br/

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também