Notícias

Prefeitura viabiliza curso pioneiro no Sudeste para confecção de absorventes reutilizáveis com trabalho de detentas

‘Programa BioSocial – Ação que traz dignidade’ teve início na Penitenciária Pimenta da Veiga nesta quinta (30)
30 de junho de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Fotos: Cleiton Borges – Secretaria Municipal de Governo e Comunicação/PMU

O ‘Programa BioSocial – Ação que traz dignidade’, implantado pela Prefeitura e Uberlândia, deu um importante passo nesta quinta-feira (30) com o treinamento de instrutores da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Habitação (Sedesth) para a confecção de absorventes reutilizáveis. A oficina de ‘Dignidade Menstrual’, ministrada pela cofundadora da Herself, especialista em Tecnologia e Inovação Social, Raíssa Assmann Kist, ocorreu na Penitenciária Professor João Pimenta da Veiga. Os aprendizados serão repassados a 15 detentas com o propósito desenvolver a qualificação, a reintegração social e profissional das mulheres reclusas, fomentando sua autonomia profissional e financeira e oportunizando a remissão da pena.

Prefeitura viabiliza curso pioneiro no Sudeste para confecção de absorventes reutilizáveis com trabalho de detentas 1
Fotos: Cleiton Borges – Secretaria Municipal de Governo e Comunicação/PMU

Uberlândia é o primeiro município da região Sudeste a implantar a capacitação com a tecnologia dos absorventes reutilizáveis. A iniciativa também traz conhecimento sobre o corpo e a saúde feminina, além de reduzir o impacto ambiental. A diretora de formação profissional, geração e emprego e renda, Cristina Palhares, destaca a oportunidade de as mulheres imaginarem esse trabalho como uma perspectiva futura de fonte de renda e reinserção.

“O município tem buscado sempre expandir as atividades realizadas através da formação e capacitação profissional. Esse projeto vem de encontro a isso, pois estamos com um público que mulheres reclusas que terão oportunidade de, no futuro, ter uma profissão e beneficiar a sociedade com a fabricação dos absorventes reutilizáveis. Com essa ação, abordamos a dignidade e melhoria da qualidade de vida com a preparação para o mercado de trabalho”, afirmou.

Para a continuidade ao trabalho feito pelas detentas, a Sedesth analisa a expansão do programa para equipamentos do município. A perspectiva do Executivo em viabilizar a capacitação é destacada cada pela ministrante do curso, Raíssa Assmann Kist.

“É importantíssima essa interseccionalidade entre agentes públicos e iniciativa privada, articulando para que de fato consigamos uma transformação que tenha reflexo duradouro no dia-a-dia das pessoas. O município, abriu portas para que tenhamos a capacitação dentro de casas prisionais. Que, no futuro, essa produção voltada inicialmente a uma necessidade da população em situação de privação de liberdade permita que essas pessoas já consigam se imaginar como agentes de transformação para equipamentos do próprio município”, pontuou.

Penitenciária adentro

O sub-diretor de humanização do atendimento da Penitenciária, Leandro Melazzo, acompanhou de perto o curso e detalhou que ideia é abranger o maior número possível de detentas, então começaremos com turmas de 15 a 20 detentas.

“A ideia é desenvolver um esquema rotativo, onde concluída a capacitação, encaminharemos a detenta para outras oficinas e abriremos vaga. Essas atividades de ressocialização, trabalhos em prol da unidade para reemissão da pena e os remunerados com empresas parcerias trazem tranquilidade para unidade prisional. Estamos capacitando essas detentas para quando saírem da unidade não recorrerem a novos crimes, assim como estimulamos a disciplina”, destacou.

Andamento

O amadurecimento da ideia até chegar à concepção e execução do ‘Programa Biosocial – Ação que traz dignidade’ começou em maio de 2020, quando a Prefeitura se atentou à necessidade de confeccionar máscaras descartáveis para prevenção e combate à pandemia de Covid-19. Com a diminuição dos casos, a gestão municipal, juntamente com a direção da penitenciária, resolveu desenvolver outro produto para aproveitar o maquinário, a oficina e mão-de-obra carcerária visando a questão social do trabalho de penada, então foi iniciada com mão-de-obra de detentos a fabricação de lençóis hospitalares.

Com o êxito da parceria, a Prefeitura resolveu implantar a confecção dos absorventes reutilizáveis para que abrangesse um número maior de detentos, trabalhando agora com o público feminino.

Em março deste ano, o prefeito Odelmo Leão realizou assinatura simbólica do acordo de cooperação para a realização da oficina da confecção de absorventes reutilizáveis. A ideia teve início em novembro de 2021, durante a  mesa redonda “Mulheres que Inspiram”. Na ocasião, uma das palestrantes foi a ministrante do curso que acontecerá na penitenciária, Raíssa Assmann Kist.

Dignidade Menstrual

O compromisso da Herself com a formação de detentas para a fabricação e absorventes teve início em 2019, em institutos penais do Rio Grande do Sul. O trabalho está entre os oito melhores projetos da Primeira Coletânea “Boas Práticas Trabalho e Renda” no sistema penitenciário brasileiro, reconhecido pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

A visão empreendedora aliada ao acesso à informação levou a iniciativa para casas prisionais de outras regiões do país. O produto oferece solução mais sustentável e segura. A associação de tecidos tecnológicos permite a absorção da menstruação, evitando a proliferação de bactérias e o controle de odores. O tecido 100% algodão em contato com a região íntima assegura o bem-estar e conforto. Anatômicos, os absorventes reutilizáveis são fixados na calcinha por meio de botões e têm durabilidade de três anos.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também