Notícias

Experimentos com pó de basalto mostram aumento de produtividade de hortaliças

Testes realizados pela Prefeitura de Uberlândia evidenciam eficácia do remineralizador de solo também em pastagens
26 de agosto de 2022
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Foto: Valter de Paula – Secretaria de Governo e Comunicação/PMU

A Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Agronegócio, Economia e Inovação, apresentou novos resultados relativos aos últimos experimentos feitos com a utilização do remineralizador de solo pó de basalto no cultivo de hortaliças e pastagem. A apresentação ocorreu em reunião do prefeito Odelmo Leão com servidores da Secretaria e da Fundação Municipal de Excelência Rural de Uberlândia (Ferub), que atuam nos experimentos.

Os dados obtidos durante o processo produtivo de alfaces, rúculas e em pastagem mostraram a eficiência na produção após o uso adequado e sistemático do pó de basalto. “O objetivo destes experimentos é mostrar como o uso do pó de basalto pode ser eficaz no aumento da produção agrícola. A adesão deste remineralizador é um importante passo para o desenvolvimento econômico-sustentável do município”, destacou a secretária da pasta, Thalita Jorge.

O prefeito Odelmo Leão parabenizou os esforços dos servidores públicos neste projeto iniciado pela Prefeitura de Uberlândia ainda em 2019. “Sempre disse que o poder público pode, e muito, em várias esferas. Sobretudo, quando há homens e mulheres que querem trabalhar juntos em prol da população. Esse é um projeto significativo para auxiliar, de forma sustentável, na garantia da segurança alimentar do Brasil e do mundo”, ressaltou.

Os experimentos que envolveram alface e rúcula foram feitos na fazenda experimental da Ferub, enquanto os testes aplicados na pastagem aconteceram na fazenda experimental da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Durante o encontro para apresentação dos resultados, os servidores envolvidos nos experimentos presentearam o prefeito Odelmo Leão com um maço de couve.

Experimentos com pó de basalto mostram aumento de produtividade de hortaliças 1

Produtividade

No caso do cultivo da alface, por exemplo, com a utilização de uma dose estimada de 6,72 toneladas por hectare (t/ha), o aumento observado na produtividade foi de 12%, se comparado a uma produtividade padrão por adubação mineral. De 33.594 quilogramas por hectare (kg/ha) a produtividade saltou para 37.636,79 kg/ha, mostrando um ganho de 4.042,79 kg/ha com o uso do pó de basalto.

Já para a produção de rúcula, a dose estimada de 6,28 t/ha do remineralizador resultou numa produtividade 5% superior à do cultivo padrão, sem a utilização do pó de basalto. Em números, a produção subiu de 21.128,25 kg/ha para 22.186,37 kg/ha, ou seja, foram produzidos 1.058,12 kg/ha a mais com o recurso pó de basalto.

Ainda quanto à produtividade de rúculas, mas na abordagem unitária, das folhas/maço, novamente o uso do remineralizador foi favorável durante o cultivo da hortaliça. Com a aplicação de 6,38 t/ha a produtividade aumentou 12,25%. Durante os testes, foi verificada uma produção de 7 folhas/maço a mais de rúcula do que sem o pó de basalto, de 56,58 folhas/maço na produção padrão passou para 63,51 folhas/maço depois do efeito produzido pelo remineralizador. Além de produtividade maior, o pó de basalto ainda antecipou a colheita da hortaliça em quatro dias.

Por último, o experimento também colocou à prova a produção de pasto para alimentação do gado. Nesta etapa, foram feitos testes em três fases (períodos) de corte do pasto. A primeira delas, foi feita após 60 dias de semeadura, a segunda, depois de 113 dias, e a última com 177 dias desde a aplicação do pó de basalto.

Usando a amostragem do terceiro corte do pasto como exemplo, observou-se uma produtividade de massa verde (kg/ha) 68,22% superior com o uso do pó de basalto. O cultivo subiu de 14.373,33 kg/ha para 30.653,33 kg/ha, o equivalente a 7.786 kg/ha.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também