Notícias

Agentes de zoonoses passam a visitar casas aos sábados

Mudança visa reduzir o número de imóveis fechados durante as visitas rotineiras; folga dos servidores foi transferida para as segundas-feiras
18 de janeiro de 2020
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Marco Crepaldi/Secretaria Municipal de Governo e Comunicação

A força-tarefa feita pela Prefeitura de Uberlândia para combater o Aedes Aegypti ganha mais um reforço. Com o objetivo de reduzir o número de imóveis que estão fechados durante as visitas rotineiras, os servidores do Programa de Controle da Dengue têm uma nova escala de trabalho. Desde este sábado (18), os agentes passam a trabalhar aos sábados e terão folga às segundas-feiras.

A alteração é mais uma ação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) para reforçar o combate ao mosquito. O último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), feito em outubro do ano passado, revelou que 84% dos criadouros são encontrados nos imóveis residenciais.

Marco Crepaldi/Secretaria Municipal de Governo e Comunicação

“Existe uma grande quantidade de domicílios visitados que os agentes não conseguem ter acesso porque nenhum morador está presente. Em alguns bairros, o trabalho de vistoria é finalizado com até 45% dos imóveis fechados. Já fizemos experiências que comprovaram que no sábado à tarde muitos moradores estão em suas resistências o que torna as visitas mais exitosas”, explicou José Humberto Arruda, coordenador do Programa de Controle da Dengue.

Uberlândia possui 74 bairros e 32 condomínios. A visita dos agentes consiste em identificar os criadouros, eliminá-los mecanicamente e tratar com larvicidas os que não são passíveis de eliminação. Por fim, a equipe orienta o morador para deixar a casa livre de qualquer possibilidade de reprodução do mosquito.

Marco Crepaldi/Secretaria Municipal de Governo e Comunicação

As visitas dos agentes passam a acontecer de terça a sexta-feira, das 7h30 às 13h30, e aos sábados das 12h às 18h (podendo variar de acordo com a característica de cada bairro). A carga horária dos trabalhadores de 30 horas semanais será mantida, conforme define a lei, e a ação tem amparo legal, pois visa o bem-estar e interesse da população.  Para a segurança da comunidade, os servidores estão sempre uniformizados e com crachás de identificação. Em caso de dúvidas, basta ligar no 3213-1470.

Outras ações

Em 2019, lançou o aplicativo “Udi sem Dengue”. A ferramenta é um novo aliado da população no combate ao mosquito, que permite que a população envie fotos, vídeos e mensagens de texto ou voz alertando as equipes do CCZ sobre possíveis criadouros do mosquito. O aplicativo já está disponível para download na loja da Google Play.

Além do canal direto com a população, o “Udi sem Dengue” também auxilia os agentes no combate ao mosquito, já que o aplicativo funciona como um gerenciador das ações, monitorando em tempo real as mais de 900 ovitrampas (armadilhas que permitem o rastreamento do mosquito) distribuídas na cidade, bem como as piscinas e reservatórios cadastrados para a inserção do peixe lebiste.

Além da dengue, o Aedes aegypti é o transmissor do zika vírus, da chikungunya e da febre amarela. Evitar qualquer situação em que possa haver acúmulo de água (por mínimo que seja, pois basta uma gota para as larvas do mosquito se desenvolverem) é essencial nessa luta. Manter uma boa higiene de quintais, calhas, comedouros e bebedouros de animais, lixo e recicláveis adequadamente acondicionados são algumas das atitudes que fazem a diferença.

Pratos de plantas, bandejas de geladeira, umidificador, ar condicionado, filtros d’água e garrafas retornáveis são alguns dos locais com focos do mosquito mais frequentes encontrados pelos agentes em residências.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também