Notícias

Uberlândia é destaque em estudo internacional sobre acessibilidade

Publicação do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) dedicou um capítulo da publicação ao trabalho da cidade no transporte público e mobilidade urbana
15 de março de 2021
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Primeira cidade brasileira a tornar sua frota de ônibus do transporte público 100% acessível, Uberlândia acaba de ganhar destaque em um importante estudo sobre acessibilidade realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Na publicação Cities as Spaces for Opportunities for All: Building Public Spaces for People with Disabilities, Children and Elders” (“Cidades como espaços de oportunidades para todos: construindo espaços públicos para pessoas com deficiência, crianças e idosos”, em tradução livre), a instituição dedica um capítulo ao caso uberlandense, considerado referência nas políticas públicas de infraestrutura e operação e serviço do sistema de transporte e mobilidade urbana.

Sob o título “Dimensão da política: a visão da cidade, instituições e liderança”, o artigo dedicado a Uberlândia mostra a construção das políticas que promovem um ambiente mais inclusivo e os impactos, especialmente, entre as pessoas com deficiência. “Um dos resultados é que 16% das pessoas com menos de 29 anos com deficiência puderam estudar”, aponta.

Rampas de acesso nas calçadas, vagas de estacionamento público exclusivos para idosos e pessoas com deficiência e a modernização da legislação local, voltada para projetos arquitetônicos inclusivos, são outros exemplos citados pelo BID que colocam o município entre os modelos destacados em todo o continente americano.

O diretor de acessibilidade da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano, Idari Alves da Silva também foi ouvido pela organização financeira internacional, partilhando sua experiência junto aos projetos conduzidos dentro da Prefeitura, como a Cartilha de Acessibilidade. A cartilha é uma referência para projetos arquitetônicos seguirem a lei de inclusão da pessoa com deficiência (13.146/2015).

Confira aqui a íntegra da publicação do BID

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Veja Também